“Temos cerca de 2,5 milhões de usuários de TV Paga cadastrados e a expectativa de crescimento é muito positiva”

O diretor de marketing da Globosat, Manuel Falcão, em entrevista à NexTV News Brasil, fala sobre o crescimento do Globosat Play, a plataforma de TV Everywhere que no ano passado registrou 120 milhões de views e mais de 2,2 bilhões de minutos assistidos.

Ele acredita que o pior da recessão econômica no Brasil já passou e aposta na recuperação do mercado ainda este ano.

-Quais os objetivos da Globosat para 2017?

Acabamos de completar 25 anos mas o nosso foco é no futuro. Fomos os pioneiros na TV por assinatura no Brasil, criamos marcas de sucesso e somos líderes do segmento desde o começo. Estamos em constante evolução e nosso objetivo é que nossas marcas de conteúdo continuem a conectar os brasileiros pelas emoções. Seja com o desenvolvimento de novos pontos de contatos com os nossos públicos, no investimento em tecnologias e pesquisas e principalmente, fomentando e produzindo conteúdo de qualidade, relevante e com o qual a audiência se identifica.

-Como estará o mercado de TV paga até o fim do ano?

Apesar da maior recessão econômica que afetou o Brasil nos últimos 30 anos, a TV por assinatura foi uma das indústrias menos afetadas. A nossa visão é que o pior já passou e veremos uma recuperação do mercado até o final do ano.

-Qual a quantidade de usuários da plataforma Globosat Play e a projeção de crescimento até final do ano?

Temos cerca de 2,5 milhões de usuários de TV Paga cadastrados na plataforma (incluindo Globosat Play, Telecine, Premiere e Combate) e no ano passado, o crescimento da Família Play foi de 102%. Dessa forma, a expectativa de crescimento é muito positiva.

-Qual a proporção de usuários que prefere conteúdos ao vivo na plataforma?

A programação ao vivo representa mais da metade de consumo de vídeos do Globosat Play, com 53%. Já o VOD, representa 47% do consumo.

No total do ano passado, o serviço de TV everywhere da Globosat registrou 120 milhões de views e mais de 2,2 bilhões de minutos assistidos – três vezes mais que em 2015. No total, os homens representaram 55% dos acessos, o também formam a maioria do público que acessa as transmissões ao vivo. Já no conteúdo disponível sob demanda (VOD), o público feminino é a maior parte.

-No Brasil, programadoras Premium como a Fox e HBO oferecem seus próprios serviços de TV everywhere, e estão também os OTT puros como Netflix, Amazon ou Looke. Como vê a concorrência no mercado de streaming de vídeo?

Desde o seu primeiro dia de funcionamento, a Globosat entrou em um ambiente de concorrência com os principais canais e marcas de TV por assinatura do mundo. Ao longo destes anos, mesmo atuando exclusivamente no mercado brasileiro e sem ter uma plataforma mundial, conseguimos ditar um ritmo de programação de alta qualidade. Como recompensa, 5 canais dos quais a Globosat participa direta ou indiretamente estão entre os 10 mais assistidos entre assinantes da TV Paga brasileira no horário nobre. E mesmo em um cenário cada vez mais competitivo, já no início desse ano alcançamos o melhor resultado histórico em audiência. Anunciantes, operadoras e assinantes reconhecem esse sucesso. Temos 34% do share de audiência na PAY-TV, e somos a programadora com o maior ganho em 2017.

A entrada no mercado de streaming de vídeo foi encarada como um passo natural e necessário na Globosat e por isso fomos pioneiros no mercado brasileiro quando nenhuma das marcas mencionadas não havia se lançado. Por trás do lançamento da plataforma digital da família Play (Globosat Play) estava a visão de que o consumidor queria ter acesso ao conteúdo de qualidade que programamos em qualquer lugar e a qualquer tempo.

O que temos visto é o aumento da complementariedade e do consumo. De cada 10 usuários de Netflix, 6 também possuem TV paga e mesmo assim, nunca tivemos tanta audiência no linear e no plays.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this pageEmail this to someone