Sobras de recursos da TV digital devem ser destinadas à distribuição de conversores

O ministro da Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil, Gilberto Kassab, determinou –através de uma portaria publicada na sexta-feira (8) – que as sobras de recursos da Seja Digital (EAD) devem ser destinadas para a compra de mais conversores.
Na portaria, o Ministério determinou ao Gired -Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV “que destine o saldo remanescente relativo ao ressarcimento dos custos decorrentes da redistribuição de canais de TV e RTV e das soluções para os problemas de interferência prejudicial nos sistemas de radiocomunicação, para a distribuição de conversores de TV Digital Terrestre com interatividade e com desempenho otimizado, ou com filtro 700 MHz, às famílias que já não os tenham recebido, para assegurar que toda a população tenha acesso livre, gratuito e de alta qualidade ao sinal digital, nas cidades onde o desligamento ocorrerá até 31 de dezembro de 2023″.
O dinheiro para o processo de desligamento – R$ 3,6 bilhões (€824,5 milhões)- foi colocado pelas empresas de telefonia celular no leilão da faixa de 700 MNz da Anatel. Mas ainda não se sabe quanto dinheiro vai sobrar. “O projeto ainda não acabou, por isso, não dá para estimar quanto será esse saldo”, disse José Carlos Martelleto, presidente da Seja Digital, segundo informou Tele.Síntese.
A estimativa do Gired -grupo que reúne governo, Anatel, emissoras de televisão e operadoras móveis- é que podem sobrar cerca de R$ 600 milhões (€ 137,4 milhões).