O site brasileiro de streaming de música lança versão paga de shows ao vivo

Uma empresa de tecnologia brasileira criou uma plataforma para artistas fazerem shows online ao vivo e ganhar com isso. Trata-se do ClapMe, criado há três anos, mas que agora mudou seu plano de negócios com uma estratégia ambiciosa: ser o “Netflix dos shows ao vivo” – isto é, um serviço de streaming focado em apresentações musicais, que podem ser assistidas tanto em tempo real quanto sob demanda.

O ClapMe, quer projetar 15 mil novos assinantes até o final do ano, também quer se transformar em uma plataforma onde artistas possam lançar clipes e DVDs. A ideia inicial é fazer dois tipos de cobrança bem acessíveis por R$ 15,90 (EUR 3,64) para pagar por uma assinatura mensal e ter acesso a todos os shows disponíveis, ou pagar apenas “o ingresso” para shows específicos, que podem custar de R$ 2,00 (EUR 0,46) a R$ 20, 00 (EUR 4,60).

O site ficou conhecido primeiro por realizar shows online e ganhar contribuição dos fãs. O objetivo agora é a cobrança ao acesso de variados shows. O serviço de streaming tem como foco apresentar musicais que podem ser assistidos tanto em tempo real quanto por demanda. Para isso, fez parcerias com casas noturnas como Lapa 40 e Centro Cultural Rio Verde, explica reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com o diretor de marketing da empresa, Felipe Império, “metade do lucro fica conosco, 30% para o artista e 20% para a casa de espetáculos”, conta ele, que espera ter mais apresentações disponíveis em março, quando as parcerias passam a valer.

O site brasileiro de streaming de música lança versão paga de shows ao vivo

Uma empresa de tecnologia brasileira criou uma plataforma para artistas fazerem shows online ao vivo e ganhar com isso. Trata-se do ClapMe, criado há três anos, mas que agora mudou seu plano de negócios com uma estratégia ambiciosa: ser o “Netflix dos shows ao vivo” – isto é, um serviço de streaming focado em apresentações musicais, que podem ser assistidas tanto em tempo real quanto sob demanda.

O ClapMe, quer projetar 15 mil novos assinantes até o final do ano, também quer se transformar em uma plataforma onde artistas possam lançar clipes e DVDs. A ideia inicial é fazer dois tipos de cobrança bem acessíveis por R$ 15,90 (EUR 3,64) para pagar por uma assinatura mensal e ter acesso a todos os shows disponíveis, ou pagar apenas “o ingresso” para shows específicos, que podem custar de R$ 2,00 (EUR 0,46) a R$ 20, 00 (EUR 4,60).

O site ficou conhecido primeiro por realizar shows online e ganhar contribuição dos fãs. O objetivo agora é a cobrança ao acesso de variados shows. O serviço de streaming tem como foco apresentar musicais que podem ser assistidos tanto em tempo real quanto por demanda. Para isso, fez parcerias com casas noturnas como Lapa 40 e Centro Cultural Rio Verde, explica reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com o diretor de marketing da empresa, Felipe Império, “metade do lucro fica conosco, 30% para o artista e 20% para a casa de espetáculos”, conta ele, que espera ter mais apresentações disponíveis em março, quando as parcerias passam a valer.